capa plitvice, literatura de viagem, estante

A ORQUESTRA DO CALCÁRIO

Os Lagos de Plitvice, na Croácia.

 

 

Desde os filmes de Karl May que não via um lugar tão bonito.

Era uma beleza de desinventar sentidos e palavras.

Lá onde os paredões de carso cochicham paraísos.

 

onde os paredões de carso cochicham paraísos – em Plitvice

 

Lá onde o verde ganha tantos tons quanto esmalte de mulher.

Tem verde-lagarto, verde-ai-meu-Deus, verde-cabeça-de-pato, verde-o-que-é-que-é-isso…

 

o verde tem silêncios profundos – em Plitvice

 

O verde tem silêncios profundos.

Mas o mineral é que dá cor.

Cor de gesso quando foge.

Era assim que ficava a água.

Uma água desavergonhosa com superfície de raio-X.

 

 

chão que dança com os peixes – em Plitvice

 

Um chão de tocar com os olhos, um chão que dança com os peixes.

Uma água da cor de ver além, pra lá de onde o azul alcança.

E deságua.

Arbustos se abraçam na margem dos peixes.

Galhos entrelaçam os dedos por baixo das águas, dão-se as mãos.

 

 

galhos dão-se as mãos – em Plitvice

 

Musgos fazem minerais com as algas.

O azul pousa no verde.

 

o azul pousa no verde – em Plitvice

 

Em jatos brancos de gozo, um lago entrega-se ao outro.

Passam córregos esbaforidos e riachos lépidos.

Lá de cima, as cachoeiras desenham babas nas barbas do mato.

 

as babas nas barbas do mato – em Plitvice

 

As águas fazem caminhos de formiga.

Peixes beijam as patas dos patos, por baixo.

Um ouriço extrovertido desabrocha na folhagem.

Alces, lobos e ursos são mais tímidos.

 

 

 

As árvores observam silenciosas.

Só o vento brinca com as folhas.

E dá pra escutar o gosto do verde.

E farejar a voluptuosidade da terra.

entre as pernas do Adriático e os braços da Bósnia e Herzegovina.

Lá onde os Tesouros do Lago de Prata se escondem.

 

Parque Nacional dos Lagos de Plitvice, na Croácia – Estante de Viagens

 

Se gostou da história, confira as DICAS de viagem da Estante, comente e COMPARTILHE nas redes sociais. 

DICAS E COMENTÁRIOS DA ESTANTE:

 

Karl May

Escritor alemão que viveu entre 1842 e 1912, dedicando-se à literatura de viagens e de aventura. Karl May teve entre seus leitores declarados personalidades como Herman Hesse, Albert Einstein e Adolf Hitler. Com mais 200 milhões de cópias publicadas, foi considerado pela UNESCO, em 1960, como o escritor alemão mais traduzido do mundo. Suas histórias de faroeste, envolvendo heróis épicos e índios pele-vermelha, ainda foram adaptadas para diversas outras mídias, como audiobooks, quadrinhos e cinema.

paredões de carso

A palavra carso (carste ou karst) refere-se ao relevo cárstico ou sistema cárstico. O termo teve origem em uma região determinada: do nordeste da Itália até o norte da Croácia, passando pela parte ocidental da Eslovênia. Nessa região foi registrada pela primeira vez a presença desse tipo de relevo geológico, com rochas (calcárias, carbonáticas ou dolomíticas) que sofrem dissolução química, levando ao aparecimento de cavernas, vales, dolinas e paredões rochosos, entre outras belas formações.

o mineral é que dá cor/Cor de gesso quando foge

O Parque Nacional dos Lagos de Plitvice possui 16 lagos, todos com águas de cores absolutamente impressionantes, variando entre o turquesa, o verde, o prata e o azul. A cor das águas é explicada exatamente pelo processo cárstico, devido a dissolução das rochas calcárias que formam minerais diversos, como arenitos, quartzitos e gesso, os quais, misturados às águas, alternam-lhes os tons.

 

Alces, lobos e ursos

Além dos 16 lagos e das incontáveis cachoeiras (que se formam e se movimentam constantemente devido aos processos cársticos), o Parque Nacional dos Lagos de Plitvice tem, ao todo, 20 mil hectares (cerca de 300 km2 de área), incluindo montanhas e mata fechada, locais habitados por ursos, cervos, lobos, raposas, linces, além de dezenas de répteis e anfíbios e centenas de aves e mariposas. Devido a toda essa riqueza natural, desde 1979, o Parque dos Lagos de Plitvice entrou para a lista da UNESCO de Patrimônios Naturais da Humanidade.

entre as pernas do Adriático e os braços da Bósnia e Herzegovina

O Parque Nacional dos Lagos de Plitvice localiza-se mais para o interior da Croácia, ao sul da capital Zagreb e à nordeste da litorânea Zadar; bem próximo ao extremo noroeste da vizinha Bósnia e Herzegovina. Nos mapas, procure por Plitvicka Jezera.

 

Tesouros do Lago de Prata

Referência a um dos filmes mais famosos baseados nas histórias de Karl May, com cenas filmadas no Parque Nacional dos Lagos de Plitvice: O Tesouro do Lago de Prata (originalmente, Der Schatz im Silbersee, 1962). A co-produção entre Alemanha e Iugoslávia causou sensação em um mundo dividido pela Guerra Fria, o que deu maior publicidade ao filme na época e maior reconhecimento ao Parque. Além disso, a obra foi a primeira alemã a usar a técnica de filmagem e produção cinemascope, contando assim com um sensacional céu azul e paisagens fenomenais.

 

 capa do filme Tesouros do Lago de Prata, de Karl May 

Infraestrutura do Parque de Plitvice

Há dois estacionamentos, um mais ao Norte e outro mais ao Sul, ambos com guichês para comprar tíquetes. O preço varia de acordo com o tempo de estadia no Parque (7 kunas/h, em 2014). Há opções de trilhas de 2-3 horas, de 3-4 horas, de 4-6 horas e de 6-8 horas. Todas as trilhas, incluem, em determinados trechos, passagens de trenzinho e/ou de barco elétrico (preços já inclusos no ingresso). O Parque Nacional dos Lagos de Plitvice ainda dispõe de banheiros, restaurante e lanchonete. Está aberto durante todo o ano, inclusive no Inverno, criando paisagens totalmente diferenciadas das mostradas no texto, mas igualmente magníficas. Para mais informações, consulte o site oficial

 

Se gostou da história, comente: