airbnb_literatura de viagem

DÚVIDAS SOBRE O AIRBNB?

Você se hospedaria na casa de um desconhecido?

 

Você se hospedaria na casa de um desconhecido? Você alugaria sua casa para um estranho? Eu fico pensando: como algumas pessoas têm essa coragem? E não tem até quem alugue apenas um cômodo e continue vivendo com o desconhecido no quarto ao lado? Será que isso é mesmo seguro? Ou essa minha sensação de insegurança é culpa do nosso Brasil? Acaso o couchsurfing não tem se tornado cada vez mais popular pelo mundo afora? Aliás, será que tem isso na Alemanha? Como serão os preços de hospedagem em Frankfurt? E afinal, a empresa não podia me dar um reembolso de hospedagem maior para ir a essa tal feira?

Que sites de couchsurfing existem? As hospedagens são sempre gratuitas ou existem uns pagos também? AirBnb, o que será isso? Uma comunidade online pra anunciar seu próprio imóvel, é isso? E já tem membros de 190 países? Pelo que ‘to vendo, tem quartos simples, suítes, studios, casas e até castelos pra alugar? E essa qualificação aqui, como funciona? Será que os locadores comentam sobre os locatários e vice-versa? Isso já dá muito mais confiança, não é? Ah, então eu preciso me cadastrar e enviar algumas solicitações para locadores com a data da viagem e o motivo e esperar as respostas? E o valor é reservado no cartão de crédito, mas só é debitado quando eu chegar lá no imóvel e fizer check-in, certo? Mais seguro assim, não?

Uau, um apartamentinho pode sair mais barato que um quarto de hotel? Não deve ser muito grande esse apartamento, né? Será que não é melhor pegar um desses hotéis no Centro, perto da Hauptbahnhoff? Ou será que a vizinhança é muito barra-pesada? Esse apêzinho não é melhor localizado? Não valeria a pena ter uma cozinha para economizar com os jantares? Afinal, o reembolso da alimentação para essa tal feira também não podia ser maior?

rodoviária central de Frankfurt – Luca Ciardelli – freeimages

E agora? Será que o tal Johan continua me esperando depois do voo até Frankfurt ter atrasado tanto? Será que consigo avisá-lo agora? Ele não me mandou o telefone dele pelo app do AirBnb?

– Herr Johan Meyer? Could you forgive me for being late?
(Senhor Johan Meyer? O senhor pode me perdoar por estar atrasada?)
– Mrs. Silva, are you ok? Are you in Deutschland? Should I keep waiting for you?
(Senhora Silva, tudo bem? Já está na Alemanha? Devo continuar esperando-a?)
– Would you mind to wait me just a bit more?
(Se importaria de esperar apenas um pouco mais?)
– Do you need anything else?
(Precisa de algo mais?)

Como eu podia imaginar que um alemão seria tão simpático? Talvez seja preconceito tudo que falam deles, não? E não seria por aqui o apartamento do Johan?

Frankfurt – MichaelManger – freeimages
– Mrs. Silva, did you have a nice trip? Some problem to find the flat?
(Senhora Silva, fez uma boa viagem? Algum problema para encontrar o apartamento?)
– Herr Meyer, first thing I have to thank you and shake your hand, do you mind?
(Senhor Meyer, em primeiro lugar eu gostaria de agradecê-lo e apertar sua mão, você se importa?)
– Is this your first time in Frankfurt? Have you ever been in Deutschland before?
(É sua primeira vez em Frankfurt? Você já esteve na Alemanha antes?)
– Do you believe this is the first time I leave Brazil?
(Acredita que é a primeira vez que saio do Brasil?)
– So, could I help you with something? Do you have any doubt about transports, localizations, restaurants, markets?(Então, posso ajudá-la com algo? Você tem alguma dúvida sobre transportes, localizações, restaurantes, mercados?)
– Could you borrow me a map for this days?
(Você pode me emprestar um mapa por esses dias?)
– Didn’t you see all the maps in the furniture? There’s a welcome cake of berries in the kitchen too, do you like? Things of wifes, do you understand me? Is it all right?
(Você não viu os mapas sobre o móvel? Há também uma torta de frutas vermelhas na cozinha, você gosta? Essas coisas de esposas, entende? Tudo certo?)
– Is the washing machine working? Could I use it eventually?
(A máquina de lavar roupa está funcionando? Eu poderia usá-la eventualmente?)
– Sure, why not?
(Claro, por que não?)
– Is there any bus station or subway close here?
(Há alguma estação de ônibus ou de metrô por perto?)
– Both right there, can you see? And if you need anything else, you can call me, ok? Any other doubt?
(Ambas bem ali, consegue ver? E se você precisar de algo mais, pode me ligar, ok? Alguma outra dúvida?)
– No, it’s all right. Thank you so much (Não, tudo ótimo. Muito obrigada mesmo)

Enfim uma certeza: hospedar-se na casa de um desconhecido pode ser um experiência muito positiva.

Frankfurt vista do rio – BernardKlein – freeimages

Se gostou da história, confira as dicas de viagem da Estante, comente e compartilhe nas redes sociais. 

DICAS E COMENTÁRIOS DA ESTANTE:

couchsurfing

Um tipo de hospedagem gratuita, o couchsurfing pode ser traduzido, ao pé da letra, como “surf no sofá”. Isso porque o sofá é o que muitos anfitriões costumam disponibilizar gratuitamente para os visitantes, mas há também quem ofereça colchões e até quartos privativos. É preciso se cadastrar em um site do serviço, que também mostra os comentários e recomendações de outros usuários, dando mais confiabilidade ao processo. A prática ainda possibilita um convívio bem mais próximo com pessoas de outros locais e de outras culturas, muito maior do que o contato de quem só visita a cidade e seus pontos turísticos.

Airbnb, o que será isso?

Uma rede social/aplicativo que lhe coloca em contato direto com o proprietário do imóvel (há anfitriões em mais de 34 mil cidades pelo mundo em 190 países). Cadastrando-se, é possível alugar desde um quarto na casa de alguém até um imóvel completo (há diversos tipos de imóveis, até casas-barco e castelos para aluguel). Saiba mais no site Airbnb

os locadores comentam sobre os locatários e vice-versa?

Com apps como o Airbnb, além de conseguir preços melhores na negociação sem intermediários, ainda dá para ver comentários de hóspedes anteriores qualificando o imóvel e a recepção dos anfitriões, os quais também podem comentar sobre os locatários, de forma a qualificá-los e facilitar aluguéis futuros.

um apartamentinho pode sair mais barato que um quarto de hotel?

Em alguns casos, sim. Como, no Airbnb, a negociação é direta com o proprietário do imóvel, há casos em que são cobradas diárias menores que as de um hotel pelo aluguel de um apartamento inteiro (uma kitinete, por exemplo). Para economizar, vale pesquisar bem todas as opções e seus custos-benefícios.

ter uma cozinha para economizar

Outra vantagem de locar um apartamento inteiro, como no caso do texto, é ter outros espaços, além do que um hotel ofereceria, como uma cozinha, que geralmente já é equipada com tudo que necessita (já que se trata da casa de alguém).

Hauptbanhoff/será que a vizinhança é muito barra-pesada?

Hauptbanhhoff quer dizer rodoviária central (em alemão). Em Frankfurt, assim como em outras megalópoles, a vizinhança do local pode ser considerada barra-pesada, sim, especialmente à noite. Isso porque, em volta da Hauptbahnhoff de Frankfurt, está o Red Light District, onde funcionam, no período noturno, diversos bares de striptease, sexshops, bordéis e cassinos. Diferente do distrito em Amsterdam de mesmo nome, em Frankfurt o cenário é mais tenebroso e há menos sensação de segurança, já que muitos usuários de drogas pesadas espalham-se pelas ruas e calçadas, bem como moradores de rua, e o policiamento não parece muito ostensivo. Apesar de tudo, há inúmeros hotéis na região e muitos com preços promocionais. Portanto, é bom ficar atento e pesquisar bem, de acordo com seus objetivos.

mandou o telefone dele pelo app

O Airbnb – rede social citada no texto – conecta diretamente os usuários (locador e locatário). Isso pode representar facilidades além do preço, já que são comuns alguns atrasos e imprevistos, em viagens, que podem ser negociados com menos formalidade que em um hotel (que poderia, por exemplo, cobrar uma taxa pelo atraso).

all the maps in the furniture/cake of berries

(todos os mapas sobre o móvel)/(torta de frutas vermelhas)

Anfitriões que abrem suas casas para receber outras pessoas (seja a casa inteira ou apenas um quarto) podem (e costumam) oferecer alguns agrados extras a seus locatários como gentileza, desde mapas e informações detalhadas sobre pontos de interesse do locatário a mimos específicos, como a citada torta de frutas vermelhas. Aliás, devido ao clima, morangos, amoras, cerejas e outras variedades de frutas vermelhas são bem comuns no país.

bus station or subway

(estação de ônibus ou metrô)

Frankfurt é muito bem servida pelo transporte público. São sete linhas de metrô (U-bahn), nove linhas de tram/bonde (Strassenbahn), cinco linhas de trem urbano (S-bahn), além de dezenas de linhas de ônibus diurnos e noturnos. Em compensação, o trânsito da cidade pode ser bastante estressante para quem não conhece bem as ruas e/ou não fala alemão. Portanto, para locomover-se de um ponto ao outro, o transporte público pode ser uma opção bem melhor do que alugar um carro ou tomar táxis. Para facilitar, o mesmo tíquete é válido para todos os tipos de transporte (U-bahn, tram, S-bahn e ônibus), sendo possível adquirir tíquetes diários.

Leia mais sobre o Airbnb

Outra experiência com o Airbnb, desta vez, viajando sozinha e hospedada junto com os proprietários. Leia:

DE CANCUN À CIDADE DO MÉXICO

2 comentários sobre “DÚVIDAS SOBRE O AIRBNB?

  1. Oi, muito legal seu site!
    Eu sou fã do airbnb. Mas, claro, com restrições. Apenas alugo propriedades que não são compartilhadas com o dono durante minha estadia. Isso porque viajo com crianças, e não conseguiria dormir num lugar sabendo que um adulto estranho está debaixo do mesmo teto que meus filhos. Sigo estritamente as regras de uso da casa. Se houver qualquer pormenor (propriedade com alguns itens sujos ou mal limpos, fotos que não correspondem à realidade, etc.) eu não escrevo nenhuma resenha sobre o proprietário ou o objeto alugado. Também leio as opiniões dos antigos usuários. Caso haja um par de resenhas ruins, eu já desisto. Ou poucas resenhas. Resumindo, é isso: usar o bom senso e ter um nível mínimo de exigências (limpeza, boa localidade, boas referências). Mas isso é muito pessoal. De quaquer forma, acho o site aribnb um golpe fresco de ar no leque de opções hotel/b&b/camping/chambre d’ôtes…

    1. Bem-vinda à Estante de Viagens, Ana. Obrigada pelo comentário. Aliás, muito pertinentes suas observações sobre o uso do Airbnb. Cada um pode aproveitar a plataforma conforme suas preferências, claro. Como você mencionou, isso é muito pessoal. Mas realmente a ideia de conectar diretamente proprietários e usuários traz uma nova alternativa de hospedagem. A Estante tem histórias de hospedagem sem os donos do imóvel, como esta aqui, e também com os donos no local (leia -De Cancun à Cidade do México-), ambas interessantes. O melhor mesmo é essa liberdade de escolha que a plataforma oferece, não acha?

Se gostou da história, comente: