capri litoral, literatura de viagem, estante de viagens

DO CAPO AO SOLARO

vista dos Faraglioni do alto de Anacapri – Estante de Viagens

Em meio à Costa Amalfitana,
uma ilha cosmopolita.
De beleza parnasiana,
de Tiberius, a favorita.

Um idílio legendário, habitado por sereias.
Em suas butiques e praças, o hedonismo é o cicerone.
Com relevo anguloso e um litoral que se meneia,
a ilha de Capri é muito mais que a Grotta Azzurra e os Faraglione.

Faraglioni de Capri – Estante de Viagens

Reparem, por exemplo, neste talentoso artista
que faz contorcionismos à beira do abismo.
Obstante toda sinuosidade, ele não se despista.
Quando cruza com outro, comprova-se o brilhantismo.

Com as rodas, as margens lapida.
Do penhasco, atirando penedos.
Esculpindo a rocha, o ônibus trepida,
enquanto o motorista desvia do arvoredo.

Ônibus em Capri – Berthold Werner – Wikimedia

Se gostou da história, confira as dicas de viagem da Estante, comente e compartilhe nas redes sociais. 

DICAS E COMENTÁRIOS DA ESTANTE:

Costa Amalfitana

A Costa Amalfitana é um trecho do litoral da Campânia (sul da Itália), entre Sorrento e Salerno (aprox. 60 km), por onde passa uma estreitíssima estrada costeira, esculpida, boa parte, sobre o precipício. Ao longo do caminho, encontram-se cidades históricas e charmosos vilarejos. A ilha de Capri fica bem próxima a essa região italiana, podendo ser visitada na mesma viagem.

de Tiberius, a favorita

O segundo imperador romano, Tibério, (42 a.C a 37 d.C), sucessor de César Augusto, passou os dez últimos anos de sua vida na Ilha de Capri, onde possuía uma vila. Assim, de certa forma, desde o Império Romano, a ilha de Capri serve de destino de férias para os poderosos.

habitado por sereias

Na Odisseia, as sereias que tentaram encantar Ulisses (Odisseu) habitavam os rochedos entre a Ilha de Capri e a costa italiana. Segundo as lendas, as sereias eram filhas do rio Achelous e da musa Terpsícore, seres tão lindos e de canto tão fascinante que atraíam os tripulantes dos navios que passavam por ali para colidirem com os rochedos. Há, inclusive, uma formação rochosa da Ilha batizada de Scoglio delle Sirene (obstáculo das sereias), localizada próxima à Marina Piccola, ponto ideal para encontrar uma praia com vista para os Faraglioni.

hedonismo

Partindo do princípio de que o hedonismo afirma que o prazer é o bem supremo do homem, a Ilha de Capri é perfeita para hedonistas. A arte pela arte, o prazer pelo prazer. Destino já famoso no jet-set internacional, a Ilha já foi visitada por celebridades como Brigitte Bardot, Grace Kelly e Jaqueline Kennedy, só para citar algumas. Artistas, intelectuais, modelos, escritores, designers e jet-setters ajudam a manter a fama da glamurosa ilha, na qual aportam diariamente luxuosos iates e transatlânticos. Repleta de lojas de marcas internacionais, restaurantes caros e hotéis indefectíveis, a Ilha de Capri costuma cobrar preços correspondentes ao alto prazer proporcionado.

relevo anguloso

Apesar de não ser de origem vulcânica, a Ilha de Capri está bem próxima ao monte Vesúvio e possui um relevo bem acidentado, com pontos que chegam a quase 600 m de altura (montes Capo e Solaro – títulos desta poesia) em sua extensão de apenas 11 km2.  O litoral é cheio de escarpas, com praias curtas e pequenas baías esculpidas nas rochas. Os pontos para banho de mar na orla são escassos; para isso, talvez seja melhor aproveitar um passeio de barco em volta da ilha, com oportunidade para banhar-se nas águas do Mediterrâneo.

Grotta Azzurra

A Grotta Azzurra é uma das principais atrações turísticas da Ilha. Trata-se de uma gruta natural de beleza estupenda, já conhecida pelo próprio imperador Tibério. Uma abertura na rocha de apenas um metro de altura dá acesso ao local. É preciso deitar-se em um pequeno barquinho a remo para entrar. Lá dentro, já sentado no barquinho, após um breve período de escuridão, o ambiente ganha reflexos azuis e prateados sobre a água transparente. A visão é magnífica. E os barqueiros cantam canções napolitanas para completar a cena. A visita dura cerca de cinco minutos apenas, o suficiente para sair de lá maravilhado.

Faraglione

Cartões-postais da Ilha, os “Faraglioni” (em italiano) são três picos de rochas que saem do mar, a poucos metros da costa de Capri. Batizados de Stella (o que é ligado à terra), Faraglioni di Mezzo (o intermediário, que se abre num arco) e Faraglioni di Fuori (ou Scopolo, o mais distante da costa), as estruturas chegam a quase 100 metros de altura e constituem uma parte genuína e encantadora da paisagem da ilha.

enquanto o motorista desvia do arvoredo

Capri tem ruas de dimensões assimétricas, caminhos tortuosos e um centro apenas acessível a pedestres. Em muitos casos, caminhar pode ser mesmo a forma mais prática e rápida de ir de um lugar ao outro na ilha. Mas para distâncias maiores, também estão disponíveis outras formas de transporte, como o funicular, os táxis e os ônibus. Os condutores desses últimos são destacados no poema por demonstrarem diariamente toda sua destreza e perícia ao percorrerem as estradas da ilha, traçando seus caminhos como verdadeiros artistas.

Se gostou da história, comente: